terça-feira, 14 de julho de 2009

Barreira Inquebrável da Rotina

Eu acordo, levanto e me banho. Saio de casa com entorpecer, aquele estado de letargia, sonolento no corpo. Quando chego ao meu destino de cada dia, meu coração literalmente dispara mais forte.

Cada passo que dou faz com que a adrenalina e a esperança se elevem. Eu passo e finjo que não vejo. Ela me vê e faz de conta que não estou lá. E por horas e horas a vontade de arranjar um simples pretexto, uma coisa banal pra quebrar a barreira da rotina, a barreira da previsibilidade, a barreira do meu vazio.

E quando anoitece que a vontade aperta. Ponho a mochila nas costas. O batimento fica acelerado como da vez que chego. Sinto de fato a pulsação no peito, latejando. Desço olhando para aquele lado, mesmo sabendo que lá já não está mais. E realmente não está.

Mais tarde, nem dormir consigo direito. O pensamento? Voa bem alto por sinal. Sobre o que sonho? Com o que espero todo dia no momento em que chego, mas que sei que não irá acontecer.

Quando se leva pedrada repetidamente, às vezes, tudo o que se espera são mais pedradas. É como se não fosse bom o bastante de ter a atenção alheia, me sentindo sujo, barato e sem importância. Mas ainda bate na cabeça uma coisinha chamada fé, de que talvez toda energia focada num objetivo pessoal possa ser concretizado. Mas sempre comigo um ar agridoce. Provas de que podem dar certo e fatos que evidenciam o oposto. Assim vivo num constante paradoxo, entre querer, ter e perder. É complicado e quisera eu o poder de saber simplificar!
Quem muito tempo fica sozinho, acaba não sabendo como conviver. Eu já não quero isso para mim em minha vida. Eu tenho medo de que todo aquele sentimento de pureza, de ardor, de paixão, esteja se escoando por mais uma vez sem nem ao menos tê-lo vivido com aquela que achei digna para compartilhar.
Então, é isso. O sonho acaba virando a minha realidade, e a realidade é que eu apenas a tenho na fantasia. A única coisa que me liga à ela é o sentimento que tenho. E eu estou esperando por você. Eu espero sem você.

Um comentário:

deborahcardoso disse...

Sei q um dia, não sei quando, mas sei, isso vai acabar. Acredito em vc e no potencial de sua personalidade a fim de manter um relacionamento. Sei q um dia vai bater na sua porta. Só não esteja na outra rua ou esquina procurando...